Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Paciente supostamente com Ebola em hospital de Kenema, na Guiné. 10/07/2014 REUTERS/Tommy Trenchard

(reuters_tickers)

SEUL (Reuters) - Uma universidade da Coreia do Sul retirou um convite feito a três nigerianos para participar de uma conferência no país, e um grupo de voluntários médicos sul-coreanos cancelou uma viagem para o oeste da África, em meio a crescentes preocupações sobre a difusão do vírus Ebola.

A Universidade de Duksung, em Seul, disse em comunicado ter “educadamente desfeito” seu convite a três estudantes da Nigéria para que fossem a uma conferência internacional que a instituição vai realizar conjuntamente com a ONU a partir da próxima segunda-feira. 

O temor de uma possível difusão do vírus levou um aluno da universidade a publicar uma solicitação no site do gabinete do presidente do país pedindo pelo cancelamento de todo o evento. 

Desde fevereiro mais de 700 pessoas morreram na África Ocidental devido ao Ebola.

A universidade disse que prosseguiria com a conferência, que será frequentada por estudantes, incluindo 28 da África. 

Líderes do oeste africano concordaram, na semana passada, tomar medidas mais rígidas para controlar o pior surto de Ebola e evitar que se espalhe para fora da região, incluindo medidas como isolar comunidades rurais assoladas pela doença. 

Um médico norte-americano, que contraiu o vírus Ebola na Libéria e foi levado para os Estados Unidos para ser tratado em um local isolado, está melhorando, de acordo com um representante do setor médico dos EUA. 

(Por Ju-min Park)

Reuters