Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Anuradha Nagaraj

CHENNAI, Índia (Thomson Reuters Foundation) - A polícia indiana está investigando alegações de que uma menina de 12 anos teria se matado após ser humilhada por uma professora devido a uma mancha de menstruação em seu uniforme, chamando atenção para o tabu da menstruação na Índia moderna.

A menina se jogou de um prédio perto de sua casa no Estado indiano de Tamil Nadu na segunda-feira, afirmaram autoridades, deixando um bilhete dizendo que havia sido torturada pela professora.

Quando outros estudantes avisaram a menina sobre o sangue em sua roupa, ela pediu ajuda. Entretanto, a professora fez com que ela mostrasse a mancha para toda a turma, relatou a mídia local, citando a mãe da menina.

"A professora nem levou em consideração que havia garotos na sala", disse, segundo a publicação The News Minute.

"Ela pediu para minha filha levantar a parte de cima do salwar kameez (traje tradicional indiano) e então deu para ela um pano de limpeza para usar como absorvente".

Na Índia, mulheres ou meninas menstruadas são consideradas sujas e impuras e são alvo de discriminação durante o período de menstruação, quando, por exemplo, podem ser proibidas de entrar em templos ou de preparar e tocar em algumas comidas.

Ativistas dizem que o suicídio da menina destaca a necessidade de se fazer com que seja mais fácil para que as adolescentes compareçam à escola.

Muitas vezes, elas são forçadas a ficar em casa durante a menstruação devido ao estigma e a falta de banheiros e absorventes.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters