Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Mulher observa flores e mensagens deixadas para vítimas de incêndio em prédio residencial em Londres. 23/06/2017 REUTERS/Hannah McKay

(reuters_tickers)

LONDRES (Reuters) - Um menino de 5 anos de idade foi identificado pela polícia nesta terça-feira como a vítima mais jovem do incêndio que destruiu um prédio de apartamentos em Londres há duas semanas, matando ao menos 79 pessoas.

Isaac Paulous foi reconhecido como um dos que morreram depois que as chamas devastaram o edifício Grenfell Tower, de 24 andares, prendendo muitos dentro de seus apartamentos.

"Isaac, nosso filho amado, foi tirado de nós quando estava só com 5 anos de idade", disse sua família em um comunicado.

"Todos nós iremos sentir falta de nosso menininho cheio de energia. Ele era um menino muito bom que era amado por seus amigos e sua família. Iremos sentir sua falta para sempre, mas sabemos que Deus está cuidando dele agora e que ele está a salvo no céu".

Até agora a polícia identificou cerca de 20 dos 79 mortos ou desaparecidos e supostamente mortos, e alertou que talvez nunca se saiba quantas pessoas de fato morreram no incêndio.

O governo britânico vem sendo cada vez mais criticado por sua reação ao desastre, e a polícia disse que irá cogitar acusações criminais, incluindo homicídio culposo, devido ao incêndio.

O agente a cargo da investigação disse que o revestimento exterior do prédio foi reprovado em todos os testes de segurança de incêndio, e na segunda-feira o governo disse que torres de apartamentos de 75 andares com revestimentos semelhantes de toda a Inglaterra também foram reprovadas.

A empresa norte-americana Arconic informou que interrompeu as vendas globais de seu revestimento Reynobond PE, que foi usado na Grenfell Tower, para uso em arranha-céus após o incêndio.

(Por Michael Holden)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters