Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

BERLIM (Reuters) - A chanceler alemã, Angela Merkel, manifestou apoio nesta segunda-feira aos planos da Sérvia de lançar sua candidatura para fazer parte da União Europeia, mas disse que antes deve haver um acordo interino de associação com o bloco.
A Sérvia assinou o Acordo de Associação de Estabilização com a UE em abril de 2008, o primeiro passo em direção à adesão, mas a Holanda bloqueou sua implementação devido ao fracasso do país em prender Ratko Mladic, o ex-comandante do exército procurado pelo tribunal de crimes de guerra da Organização das Nações Unidas (ONU).
Merkel disse durante entrevista coletiva com o presidente sérvio, Boris Tadic, que conversaria com os países que bloqueavam o pacto de associação para abrir caminho para sua candidatura de adesão ao bloco.
"Acho que a ordem lógica é o acordo de associação interina entrar em vigor antes e apenas depois a candidatura para a adesão à UE ser enviada", disse Merkel.
Tadic disse que estava convencido de que o próximo relatório do procurador-chefe do Tribunal Penal Internacional para a Ex-Iugoslávia mostrará que Belgrado está cooperando com a Justiça.
O comandante servo-bósnio, que ainda está foragido, foi indiciado pelo massacre de 8.000 homens e meninos muçulmanos em Srebrenica e pelo cerco de 43 meses a Sarajevo durante a guerra da Bósnia, de 1992 a 1995.
(Reportagem de Noah Barkin)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters