Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Chanceler da Alemanha, Angela Merkel, durante sessão da câmara baixa do Parlamento, em Berlim. 29/06/2017 REUTERS/Fabrizio Bensch

(reuters_tickers)

BERLIM (Reuters) - Abordar a questão da mudança climática será uma das tarefas centrais da cúpula do G20 em Hamburgo na próxima semana, disse a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, a parlamentares nesta quinta-feira, em reação à saída dos Estados Unidos do acordo do clima de Paris.

Merkel, que irá presidir o encontro de líderes globais na cidade portuária do norte alemão, disse que o ceticismo do governo do presidente dos EUA, Donald Trump, em relação à mudança climática tornou ainda mais importante que a União Europeia mostre liderança sobre o tema.

"Desde a decisão dos EUA de abandonar o Acordo do Clima de Paris, estamos mais determinados que nunca a torná-lo um sucesso", afirmou. "Precisamos enfrentar este desafio existencial, e não podemos esperar até que a última pessoa na Terra esteja convencida da prova científica".

Merkel disse que, ao presidir a cúpula, irá procurar direcionar as conversas de maneira que elas ampliem as metas do acordo parisiense, mas reconheceu que as diferenças com os norte-americanos significam que as discussões não serão fáceis.

A chanceler disse que o fórum, que se reúne entre 7 e 8 de julho, também irá debater abordagens em comum sobre o comércio, outra área na qual os instintos protecionistas da gestão Trump se chocam com os da UE.

"Qualquer um que acredite que os problemas do mundo podem ser resolvidos com isolacionismo e protecionismo age influenciado por um grande erro", disse Merkel.

Longe de estar enfraquecido pela decisão do Reino Unido de deixar a UE, o bloco irá permanecer unido, acrescentou, prometendo um empenho renovado com o presidente da França, Emmanuel Macron, para aprofundar a cooperação dentro do bloco e na zona do euro.

(Por Thomas Escritt)

Reuters