Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Combatentes curdos da milícia YPG em Raqqa, na Síria. 03/07/2017 REUTERS/Goran Tomasevic

(reuters_tickers)

QAMISHLI, Síria/BEIRUTE (Reuters) - O líder da milícia curda síria Unidades de Proteção Popular (YPG, na sigla em curdo) disse à Reuters nesta quarta-feira que mobilizações de militares da Turquia perto de áreas do noroeste da Síria dominadas pelos curdos equivalem a uma "declaração de guerra", indicando o risco de um grande confronto.

Indagado se acredita em um conflito com os turcos no norte sírio, onde os dois lados trocaram tiros de artilharia nos últimos dias, Sipan Hemo acusou a Turquia de se preparar para uma campanha militar.

"Estes preparativos (turcos) chegaram ao nível de uma declaração de guerra e podem levar à irrupção de choques nos próximos dias", disse. "Não iremos ficar passivos diante desta agressão em potencial".

As YPG estão liderando uma campanha apoiada pelos Estados Unidos para capturar Raqqa, bastião do Estado Islâmico situado cerca de 200 quilômetros a leste da região de Aleppo, onde as tensões entre forças turcas e as YPG vêm crescendo nas últimas semanas.

As forças turcas rumaram para o norte da Síria no ano passado em auxílio a grupos rebeldes do Exército Livre da Síria, que tem apoio de Ancara, uma operação que expulsou o Estado Islâmico da fronteira e ao mesmo tempo criou um obstáculo em áreas controladas pelas YPG.

Nas últimas semanas a Turquia enviou reforços à área norte de Aleppo. Ancara diz que as YPG representam uma ameaça de segurança a seu país e as veem como uma extensão do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, na sigla em curdo), que mantém uma insurgência contra o Estado turco há décadas. As YPG e o PKK negam estarem ligados.

(Por Rodi Said e Tom Perry)

Reuters