Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

HONG KONG (Reuters) - Dezenas de milhares de pessoas foram às ruas de Hong Kong, neste domingo, para protestar contra a prisão de três jovens ativistas democratas, e muitos questionaram a independência do judiciário da cidade sob domínio chinês.

Na quinta-feira, Joshua Wong, de 20 anos, Nathan Law, 24 e Alex Chow, 27, foram sentenciados a seis a oito meses de prisão por reunião ilegal, desferindo um golpe contra o apelo liderado pela juventude pelo sufrágio universal, e provocando acusações de interferência política.

Milhares de pessoas marcharam sob temperaturas acima de 30 graus Celsius até o Tribunal de Apelação Final, carregando cartazes e bandeiras denunciando o encarceramento dos ativistas.

O ex-líder estudantil Lester Shum, que ajudou a organizar a passeata de domingo, disse que o número de manifestantes foi o mais forte desde o "Movimento Guarda-Chuva" de manifestações pró-democracia de 2014, que paralisou as principais ruas no centro financeiro por 79 dias.

"Isso mostra que a conspiração do governo de Hong Kong, do regime comunista chinês e do Departamento de Justiça para dissuadir o povo de Hong Kong de continuar a participar da política e protestar contra o uso de leis e penas severas falhou completamente", disse Shum.

(Por Venus Wu)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters