Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

BAMACO (Reuters) - Milhares de pessoas foram para as ruas de Mali neste sábado para protestar contra um referendo que pode provocar mudanças constitucionais que dariam poderes adicionais ao presidente Ibrahim Boubacar Keita.

O governo de Mali atrasou a votação, que foi originalmente planejada para a semana passada, mas ainda planeja ir adiante com o referendo neste ano. Ativistas se dizem prejudicados com as disposições que permitam o presidente nomear um quarto do Senado e remover o primeiro-ministro.

A população de Mali ficou cada vez mais desiludida com o governo de Keita, já que a insegurança piorou significativamente no ano passado e está se espalhando além do deserto norte para o sul e centro, incluindo a capital Bamaco.

"Não precisamos de uma constituição revisada. Precisamos do Estado para liberar o norte e o centro do Mali e ter em conta as aspirações das pessoas", declarou o manifestante e conselheiro local Sonore Sidibe durante marcha.

As eleições presidenciais estão programadas para o fim de 2018, embora Keita não tenha dito se ele vai ou não concorrer.

(Por Idrissa Sangare)

Reuters