Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ministro da Justiça alemão, Heiko Maas, na chanceleria em Berlim 16/08/2017 REUTERS/Axel Schmidt

(reuters_tickers)

BERLIM (Reuters) - O ministro da Justiça alemão, Heiko Maas, condenou nesta quarta-feira os recentes comentários do presidente norte-americano, Donald Trump, sobre a violência originada de um protesto de supremacistas brancos no Estado de Virgínia, dizendo que ninguém deve desmerecer o antisemitismo ou o racismo de neonazistas.

Na véspera, Trump causou mais controvérsia quando disse que aqueles que estavam protestando contra os ativistas de direita são parcialmente responsáveis pela violência.

Os comentários de Trump vieram um dia depois de ele ter cedido a pressão para condenar explicitamente a Ku Klux Klan e outros grupos de supremacia branca.

"É intolerável como Trump está agora encobrindo a violência das hordas de direita de Charlottesville", disse Maas, em comunicado, refletindo a preocupação política sobre a Presidência de Trump.

"Ninguém deveria banalizar o antisemitismo ou o racismo de neonazistas", disse Maas.

A Alemanha tem leis rígidas contra discursos de ódio e símbolos ligados a Adolf Hitler e aos nazistas, que governaram o país de 1933 até sua derrota em 1945.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters