Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

ASSUNÇÃO (Reuters) - O ministro das Finanças do Paraguai, Santiago Peña, irá concorrer à Presidência em 2018 com a bênção do presidente de centro-direita Horacio Cartes, disseram nesta sexta-feira líderes do governista Partido Colorado a repórteres.

Isto requer que Peña, economista de 38 anos que desempenhou funções prévias no Fundo Monetário Internacional e no conselho do banco central do Paraguai, deixe seu cargo atual assim que sua candidatura se tornar oficial.

Investidores são a favor das políticas de baixos impostos de Cartes e dão a ele o crédito por uma das taxas de crescimento econômico mais rápidas da América Latina. Mas sua tentativa de alterar a Constituição para permitir um segundo mandato gerou protestos anteriormente neste ano.

Cartes disse no mês passado que não irá concorrer para preservar a estabilidade. Há poucos outros candidatos presidenciais óbvios, embora Peña enfrente preocupações por conta de sua relativa falta de experiência política e provavelmente irá precisar lutar pela nomeação do Colorado contra veteranos do partido.

Peña havia indicado em entrevistas recentes que suas políticas serão similares às de Cartes – mantendo uma cobertura sobre impostos, controlando o déficit e ampliando programas sociais no país, que é o quarto maior exportador de soja no mundo.

A candidatura de Peña deve ser confirmada oficialmente posteriormente nesta semana. Um porta-voz de Peña disse não ter informações sobre o momento de qualquer anúncio.

As primárias do partido serão realizadas em dezembro, antes da eleição geral, em abril.

(Reportagem de Daniela Desantis)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters