Reuters internacional

ASSUNÇÃO (Reuters) - O ministro das Finanças do Paraguai, Santiago Peña, irá concorrer à Presidência em 2018 com a bênção do presidente de centro-direita Horacio Cartes, disseram nesta sexta-feira líderes do governista Partido Colorado a repórteres.

Isto requer que Peña, economista de 38 anos que desempenhou funções prévias no Fundo Monetário Internacional e no conselho do banco central do Paraguai, deixe seu cargo atual assim que sua candidatura se tornar oficial.

Investidores são a favor das políticas de baixos impostos de Cartes e dão a ele o crédito por uma das taxas de crescimento econômico mais rápidas da América Latina. Mas sua tentativa de alterar a Constituição para permitir um segundo mandato gerou protestos anteriormente neste ano.

Cartes disse no mês passado que não irá concorrer para preservar a estabilidade. Há poucos outros candidatos presidenciais óbvios, embora Peña enfrente preocupações por conta de sua relativa falta de experiência política e provavelmente irá precisar lutar pela nomeação do Colorado contra veteranos do partido.

Peña havia indicado em entrevistas recentes que suas políticas serão similares às de Cartes – mantendo uma cobertura sobre impostos, controlando o déficit e ampliando programas sociais no país, que é o quarto maior exportador de soja no mundo.

A candidatura de Peña deve ser confirmada oficialmente posteriormente nesta semana. Um porta-voz de Peña disse não ter informações sobre o momento de qualquer anúncio.

As primárias do partido serão realizadas em dezembro, antes da eleição geral, em abril.

(Reportagem de Daniela Desantis)

Reuters

 Reuters internacional