Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

JERUSALÉM (Reuters) - Um ministro israelense não estava sugerindo, ao reagir a discurso do presidente norte-americano Donald Trump sobre o acordo nuclear com o Irã, que as palavras do republicano poderiam levar a uma guerra contra a República Islâmica, disse neste sábado um porta-voz do ministro.

Em uma entrevista na sexta-feira, o ministro da Inteligência, Israel Katz, ao responder uma longa pergunta que se encerrava com o risco de guerra após as declarações de Trump, disse: "Sim, absolutamente. Eu acho que o discurso foi significativo", antes de ampliar o assunto.

O porta-voz de Katz disse neste sábado que a resposta do ministro foi dirigida a uma parte anterior da pergunta e que não tinha a intenção de dizer que um conflito armado está a caminho.

Katz não estava reagindo "à pergunta que o âncora fez depois, se o discurso do presidente poderia levar a uma guerra contra o Irã", disse o porta-voz. Segundo ele, o ministro respondia se "o discurso e a nova estratégia poderiam trazer uma mudança real".

O porta-voz acrescentou que Katz acha que o discurso "sinaliza a vontade do governo dos EUA em reagir ativamente às ameaças que o Irã representa, incluindo as ameaças nucleares e balísticas, seu apoio a organizações terroristas, suas atividades subversivas na região e suas violações dos direitos humanos".

(Reportagem de Dan Williams)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters