Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Summer Zervos, que processou o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, por difamação. 17/01/2017 REUTERS/Mike Blake

(reuters_tickers)

Por Alex Dobuzinskis e Dana Feldman

LOS ANGELES (Reuters) - Um das cerca de 10 mulheres que acusaram o presidente eleito dos Estaods Unidos, Donald Trump, de cometer avanços sexuais indesejados entrou com um processo contra o republicano em Nova York, na terça-feira, alegando que o empresário fez declarações falsas e difamatórias sobre ela ao rebater a acusação.

O processo aberto por Summer Zervos, uma ex-participante do reality show de Trump “O Aprendiz”, está concentrado em uma série de negativas de Trump dirigidas a ela e outras mulheres em outubro do ano passado, poucas semanas antes da eleição presidencial de 8 de novembro, quando Summer e outras acusaram o então candidato de realizar avanços sexuais não desejados. 

A porta-voz de Trump, Hope Hicks, chamou as alegações de “absurdas”.

“Mais do mesmo vindo de Gloria Allred”, disse Hope, referindo-se à conhecida advogada de Summer. ”Nada é verdade nesta história absurda.”

À época das alegações contra ele, Trump, que tomará posse como presidente dos EUA na sexta-feira, categoricamente negou todas as acusações em comentários no Twitter, em comunicados, em entrevista e em comícios.

Trump sugeriu em um comício em Charlotte, Estado da Carolina do Norte, em 14 de outubro, que as acusadoras estavam inventando as histórias em busca de publicidade ou para prejudicar sua campanha. 

Especificamente sobre Summer, Trump disse no comício, poucas horas após ela ter feito as acusações, que “não era difícil encontrar algumas poucas pessoas dispostas a fazer falsas calúnias por fama pessoal, talvez por motivos financeiros, talvez políticos”, de acordo com o processo. 

“As declarações falsas e difamatórias sobre a sra. Zervos —entre as quais a alegação de que ela inventou suas descrições sobre a má conduta de Trump, e que ela está criando uma história ‘falsa’ para que possa ficar famosa— foram profundamente prejudiciais à reputação, honra e dignidade da sra. Zervos”, diz a parte autora no processo. 

Em uma coletiva de imprensa em Los Angeles para anunciar o processo, na terça-feira, Zervos disse que quer que Trump peça desculpas. “Já que o Sr. Trump não se retratou conforme solicitado, ele então não me deixou alternativa a não ser processá-lo a fim de defender minha reputação”, disse.

(Por Dana Feldman e Alex Dobuzinskis)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters