Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

PENNE, Itália (Reuters) - Vinte e quatro pessoas estão desaparecidas nos destroços de um hotel no centro da Itália que desmoronou por conta de uma avalanche, com a buscas e operações de resgate ainda em andamento, disseram as autoridades neste domingo.

Um comunicado do serviço nacional de bombeiros afirmou que o número de pessoas desaparecidas subiu após uma pessoa resgatada afirmar que um funcionário do hotel, de origem senegalesa, estava no prédio no momento do avalanche.

Até agora cinco pessoas foram confirmadas como mortas, e nove, incluindo quatro crianças, foram retiradas com vida das toneladas de entulho e neve no sábado.

"As operações continuam, tanto dentro quanto fora do hotel, não há mudança nos números (de pessoas mortas e salvas)", disse o porta-voz Luca Cari em comunicado.

O hotel de luxo Rigopiano, localizado nos pés de uma cadeia montanhosa na região central italiana de Abruzzo, foi destruído na quarta-feira após uma avalanche causada por um terremoto ter atingido seu spa e demolido o prédio de quatro andares.

"A situação infelizmente é a mesma dos últimos dias, continuamos trabalhando sem parar, sob condições climáticas extremamente difíceis... mas continuaremos trabalhando o mais rápido que pudermos", disse o prefeito Marco Amoriello.

Ele acrescentou que as condições climáticas não estavam ajudando as operações e que a previsão do tempo para os próximos dias não parecia boa.

"Mas nós certamente não pararemos por causa disso", disse Amoriello.

Alguns membros de equipes de resgate disseram que não descartam encontrar mais sobreviventes, mais de três dias após o desastre.

Cerca de 120 mil toneladas de neve congelada cobriam grande parte do que sobrou do hotel, disse um coronel de uma equipe de bombeiros que trabalha no local à televisão Sky TG24.

Nove dos onze sobreviventes ainda estão hospitalizados na cidade próxima de Pescara, com alguns deles devendo deixar o hospital na segunda-feira.

"Obrigada por estarem próximos, e pela ajuda real que estão trazendo", disse o papa Francisco no domingo em sua fala semanal, em referência aos envolvidos no resgate e nas operações de alívio.

Reuters