Reuters internacional

Por Irene Klotz

CABO CANAVERAL, Flórida (Reuters) - A espaçonave da Cassini, da Nasa, passou pela última lua de Saturno pela última vez neste sábado, atingindo sua gravidade para fazer uma série de mergulhos exploratórios dentro dos anéis do planeta gigante do gás.

Depois de quase 20 anos viajando no espaço, a Cassini usou a orla gravitacional de Titã, uma lua parecida com a Terra, para lançar-se em uma nova órbita que passará por uma região inexplorada entre as nuvens de Saturno e seus anéis.

A espaçonave deve fazer o primeiro de 22 mergulhos entre o planeta e seus anéis na quarta-feira. Durante o último mergulho em 15 de setembro, Cassini deve destruir-se voando diretamente para a atmosfera esmagadora de Saturno.

A corrida final da Cassini foi posta em movimento no início deste sábado pela sua 127ª e última passagem por Titã, disse a Administração Nacional de Aeronáutica e do Espaço dos EUA.

Durante os mergulhos, Cassini medirá quanto gelo e outros materiais estão nos anéis e determinar a sua composição química. Essa informação ajudará os cientistas a aprender como os anéis se formaram.

A Cassini também estudará a atmosfera de Saturno e tomará medidas para determinar o tamanho do núcleo rochoso do planeta.

A nave tem examinado Saturno, o sexto planeta do sol, e suas 62 luas conhecidas desde julho de 2004, mas está com pouco combustível.

A Nasa planeja quebrar a espaçonave em Saturno para evitar qualquer chance de a Cassini um dia colidir com Titã, a lua oceânica ou qualquer outra lua que tenha potencial para apoiar a vida microbiana.

Reuters

 Reuters internacional