Reuters internacional

Fiéis seguram velas durante cerimônia de bênção das velas comandada pelo Papa Francisco no Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Portugal 12/05/2017 REUTERS/Tony Gentile

(reuters_tickers)

Por Philip Pullella e Sergio Goncalves

(Reuters) - O papa Francisco, visitando um dos santuários mais famosos do catolicismo, rezou nesta sexta-feira pelo fim das guerras que, segundo ele, dilaceram o mundo, e pediu aos fiéis para “derrubarem todos os muros” para espalhar justiça e paz.

No início de uma viagem de menos de 24 horas em solo português, Francisco desembarcou no Santuário de Fátima, onde a Igreja Católica ensina que a Virgem Maria apareceu para três crianças portuguesas há 100 anos, no que então era um pobre vilarejo agrícola.

O principal motivo da viagem à cidade na região central de Portugal, que recebe cerca de 7 milhões de pessoas por ano, é uma grande missa a céu aberto no sábado para declarar santas duas das crianças.

As duas crianças, Francisco e Jacinta Marto, morreram pouco após as aparições, aos 9 e 10 anos. A terceira, Lucia dos Santos, se tornou uma freira e morreu em 2005, aos 97 anos.

    Observado por centenas de milhares de pessoas, Francisco leu uma longa prece perante uma pequena estátua da Virgem Maria, deixando uma rosa dourada aos seus pés.

“Imploro para o mundo que haja harmonia entre todos os povos”, disse, denunciando sangue “despejado nas guerras que estão destruindo nosso mundo”.

Desde sua posse, em 2013, Francisco fez centenas de apelos pela paz, incluindo pedidos de mediação internacional para reduzir tensões entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte.

    Um cartaz na multidão dizia: “Por favor, reze pela paz na Coreia”.

Em sua prece, que a grande multidão escutou em quase silêncio, Francisco também falou sobre outro importante tema de seu papado: justiça para os pobres, refugiados e abandonados.

    “Iremos seguir todos os caminhos e em todos os lugares fazer nossa maneira peregrina; iremos derrubar todos os muros e cruzar todas as fronteiras à medida que vamos a todas as periferias para tornar conhecida a justiça e paz de Deus”, disse.

Reuters

 Reuters internacional