NOVA YORK (Reuters) - O governo do prefeito de Newark, Ras Baraka, processou o prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, acusando o colega democrata de abandonar a população de pessoas sem-teto de sua metrópole na maior cidade de Nova Jersey.

A ação civil contra a cidade de Nova York, seu prefeito e seu responsável pelos desabrigados, Steven Banks, acusa o programa Assistência Especial Única (Sota) de usar táticas truculentas para enviar pessoas através do Rio Hudson para que encontrem um lugar para morar.

"Este caso diz respeito a um programa ilegal de migração 'coagida'", disseram advogados de Newark em autos registrados no Tribunal Distrital de Nova Jersey na segunda-feira.

Autoridades municipais de Nova York são acusadas de "forçar os contemplados do Sota a aceitarem a proverbial 'oferta que não se pode recusar', dizem os autos, explicando que a frase do filme de mafiosos "O Poderoso Chefão", de 1972, "na verdade é uma ordem, 'faça o que mandamos, senão...'".

A ação civil acusa Nova York de violar leis comerciais federais, citando vários ex-moradores de abrigos nova-iorquinos que foram levados às pressas a visitas a apartamentos de Nova Jersey e pressionados a escolherem um logo, e disse que o Sota pagou um ano de aluguel adiantado aos proprietários.

"Ela ouviu de responsáveis de casos em seu abrigo que deveria procurar em Nova Jersey, nas cidades de Newark ou Paterson, porque os proprietários de Nova York estavam desconfiados do programa Sota e porque encontraria algo mais rápido em Nova Jersey", disseram advogados de Newark a respeito de uma desabrigada nos autos.

O governo De Blasio não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.