Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente dos EUA, Barack Obama, durante pronunciamento sobre o Iraque na Casa Branca, em Washington. 7/08/2014. REUTERS/Larry Downing

(reuters_tickers)

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, autorizou na noite de quinta-feira ataques aéreos dos EUA contra alvos específicos do Estado Islâmico no norte do Iraque e o envio de aeronaves com ajuda humanitária para minorias religiosas que estão isoladas, visando impedir um "possível genocídio".

Falando após encontro de sua equipe de segurança nacional, Obama --em sua resposta mais significativa à crise no Iraque-- disse que aprovou o uso limitado do poder aéreo norte-americano para proteger pessoal dos EUA se o Estado Islâmico avançar sobre a capital curda, Arbil, onde estão localizados.

Os ataques aéreos seriam os primeiros dos EUA no Iraque desde a retirada das tropas norte-americanas no fim de 2011, mas Obama garantiu que não vai enviar tropas terrestres ao país.

Obama anunciou as medidas diante dos temores internacionais sobre uma possível catástrofe humanitária envolvendo dezenas de milhares de membros da minoria religiosa iraquiana yazidi, que deixaram suas casas e se refugiaram na montanha Sinjar diante da ameaça de militantes do Estado Islâmico.

"Nós podemos agir com cuidado e responsabilidade para evitar uma potencial ato de genocídio", disse Obama a repórteres na Casa Branca. "Autorizei, portanto, ataques aéreos dirigidos, se necessário."

Reuters