Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu neste sábado aos norte-americanos que tenham paciência em relação à situação da economia. Ele argumentou que sua recém-concluída viagem à Ásia foi importante para as exportações do país, rebatendo, assim, as críticas de que voltou de mãos abanando.
Com o desemprego alcançando a taxa de 10,2 por cento e a alta popularidade do início do mandato agora caindo, Obama disse que um fórum da Casa Branca em dezembro discutirá a questão profundamente.
"Mesmo que leve tempo, posso lhes prometer isto: estamos seguindo na direção certa. As medidas que estamos adotando estão ajudando", disse Obama em seu pronunciamento semanal, em meio a sinais de que a população está ficando impaciente com a crise.
Pesquisa do Gallup divulgada na sexta-feira mostrou que o apoio a Obama caiu para 49 por cento.
Os comentários de Obama foram os primeiros depois de sua volta de uma viagem à Ásia, na qual, segundo críticos, não conseguiu obter concessões significativas em comércio e moedas de parceiros como a China.
Mas Obama disse que progresso foi feito com a Rússia e a China no envio de uma mensagem unificada ao Irã e à Coreia do Norte para que eles desistam de programas nucleares ou "encarem as consequências", e também na pressão para que os países mantenham o estímulo ao crescimento.
(Reportagem de Alister Bull)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters