Navigation

Obama se reunirá com líderes da América Central; número de imigrantes cai

Este conteúdo foi publicado em 19. julho 2014 - 00:49

Por Jeff Mason

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, vai se reunir com os líderes de Honduras, Guatemala e El Salvador na próxima semana para discutir a cooperação sobre o fluxo de crianças que emigram da América Central para os EUA, informaram autoridades norte-americanas nesta sexta-feira.

A reunião acontece após queda no número de menores desacompanhados que atravessam a fronteira para Rio Grande Valley, no Texas, de acordo com autoridades.

Cerca de 2.000 crianças atravessavam semanalmente a fronteira em junho, disse uma autoridade a repórteres. Até a segunda semana de julho, o número caiu para menos de 1.000 e continua caindo, segundo o governo.

As autoridades vinculam a queda a uma série de fatores, incluindo campanhas norte-americanas de informação sobre os perigos da viagem para as crianças e declarações políticas claras de que os EUA não dariam aos migrantes cidadania norte-americana.

As autoridades disseram ainda que a queda também teve relação com fatores climáticos. Tradicionalmente, menos pessoas cruzam a fronteira nos meses quentes do verão.

Obama recebeu críticas de republicanos por sua política de imigração, que a oposição afirma ter encorajado o aumento no número de menores que entram ilegalmente no país.

O encontro do presidente com líderes de países da América Central, em 25 de julho, será na Casa Branca.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.