Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Jeff Mason
WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, irá a Copenhague para a conferência sobre mudança climática promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 9 de dezembro, na esperança de reforçar o processo internacional, apesar do lento avanço relacionado a um projeto de lei nos EUA para cortar as emissões de carbono.
Durante as negociações os EUA vão prometer cortar suas emissões de gases-estufa em 17 por cento até 2020, em comparação com os níveis de 2005, afirmaram autoridades da Casa Branca -- e fazer os ajustes depois que a lei norte-americana for concluída.
Isso corresponde a um corte de 3 por cento nas emissões norte-americanas em comparação com os níveis de 1990 - muito menos ambicioso do que o proposto por outros países desenvolvidos, incluindo o bloco de 27 nações da União Europeia, que prometeu uma redução de 20 por cento com relação a 1990.
Os EUA também vão se comprometer com um corte de 18 por cento até 2025 e de 32 por cento até 2030 em comparação com os níveis de 1990, afirmaram as autoridades.
Obama está sendo pressionado a comparecer às conversações de Copenhague a fim de mostrar o seu compromisso com um pacto global. Ele planeja visitar a capital dinamarquesa no início das negociações, informou a Casa Branca, antes de receber o Nobel da Paz numa cerimônia em Oslo, na Noruega.
Obama não planeja voltar para o encerramento da conferência, que vai de 7 a 18 de dezembro, e que contará com a presença de outros 65 chefes de Estado e de governo.
"Estamos trabalhando com os dinamarqueses para garantir que sua visita lá... confira força máxima às negociações em andamento", disse Michael Froman, um dos negociadores norte-americanos em Copenhague.
A Casa Branca formulou suas metas de emissão com base em consultas com os congressistas, afirmaram as autoridades.
Obama fez da mudança climática uma prioridade de governo, mas o projeto para cortar as emissões norte-americanas de gases-estufa está empacado no Senado dos Estados Unidos.
A ONU saudou o anúncio de que Obama vai comparecer à conferência.
"É crucial que o presidente Obama compareça à cúpula da mudança climática em Copenhague", disse Yvo de Boer, chefe do Secretariado para Mudança Climática da ONU, numa entrevista coletiva.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters