Reuters internacional

LIMA (Reuters) - Os chanceleres da Organização dos Estados Americanos (OEA) pretendem se reunir em 21 ou 22 de maio para fechar uma posição sobre a crise na Venezuela, disse nesta quarta-feira o chanceler peruano, Ricardo Luna.

Ele afirmou que estão sendo realizadas consultas entre os países da OEA que estão preocupados com a atuação do presidente venezuelano Nicolás Maduro, que enfrenta uma onda de protestos nos quais 34 pessoas morreram.

"São mais de nove ou 10 (países), também houve contato com o Canadá e os Estados Unidos, e acredito que de alguma forma a reunião da semana, não sabemos se é 21 ou 22 de maio, dos chanceleres vai fechar uma posição e, possivelmente, um mecanismo para mudar a situação", disse Luna a repórteres.

"A situação na Venezuela está piorando, de uma polarização incessante e preocupante para os países da região."

A Venezuela anunciou na semana passada a sua saída "definitiva" da OEA, composta por 35 países da região, depois que a maioria de seus membros aprovou a convocação de uma reunião para discutir a crise no país.

Luna disse que a recente convocação de Madura de uma Assembleia Constituinte visa conter a oposição. "Deste modo, é uma anomalia, é uma mudança de regra que todo o mundo qualifica , e especialmente a oposição, como arbitrária, autoritária, uma espécie de golpe dentro do golpe", disse ele.

(Reportagem de Marco Aquino)

Reuters

 Reuters internacional