Navigation

OMS alerta para 50 novos casos de ebola e 25 mortes no oeste da África

Este conteúdo foi publicado em 09. julho 2014 - 00:01

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA Suíça (Reuters) - Cinquenta novos casos de ebola e 25 mortes foram relatados em Serra Leoa, Libéria e Guiné desde 3 de julho, e o vírus mortal continua a se espalhar entre as famílias, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta terça-feira.

Em um comunicado, a agência da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou que as cifras mais recentes dos ministérios da Saúde dos três países mostraram um total de 844 casos, entre eles 518 mortes, na epidemia iniciada em fevereiro.

O ministério de Guiné relatou duas mortes desde 3 de julho, mas nenhum novo caso na semana passada, segundo a OMS, que classificou a situação na região afetada no oeste da África como um “quadro misto”.

Serra Leoa teve 34 dos novos casos e 14 mortes, enquanto a Libéria relatou 16 novos casos e nove falecimentos. “Estes números indicam que continua ocorrendo uma trasmissão viral ativa na comunidade.”

A porta-voz da OMS, Fadela Chaib, falando durante uma entrevista coletiva à imprensa em Genebra no início desta terça-feira, afirmou: “Isto significa que os dois principais modos de transmissão, como cuidado caseiro, pessoas que cuidam de seus parentes em casa e os enterros, continuam acontecendo.”

“Se não detivermos a transmissão nos vários locais mais afetados nestes três países, não poderemos dizer que estamos controlando o surto”, disse.

Países do oeste africano e organizações internacionais de saúde adotaram uma nova estratégia na quinta-feira passada para combater a pior epidemia de ebola da história. As medidas incluem maior vigilância para detectar o vírus e o fortalecimento da cooperação nas fronteiras.

(Reportagem adicional de Matthew Mpoke Bigg)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.