Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido precisa ter “conversas difíceis” com a Arábia Saudita e outros países do Golfo sobre o financiamento ao extremismo islâmico, disse o líder da oposição Jeremy Corbyn neste domingo, retomando sua campanha eleitoral após um ataque mortal em Londres.

O líder do Partido Trabalhista, que espera vencer a eleição nacional na quinta-feira, disse que a votação deve seguir adiante para mostrar que a democracia não será suspensa pelo ataque na London Bridge, que deixou sete mortos e 48 feridos.

Mais cedo, a primeira-ministra Theresa May pediu uma resposta mais forte ao extremismo islâmico após três militantes, munidos de facas, atropelarem pedestres com uma van na ponte londrina e esfaquearam transeuntes.

Corbyn disse que os valores democráticos do Reino Unido devem ser mantidos.

"Nós devemos resistir à islamofobia e à divisão e sairmos de 8 de junho unidos em nossa determinação de mostrar que nossa democracia é forte", disse Corbyn no texto de um discurso que deve ser feito em Carlisle, norte da Inglaterra.

"E, sim, nós precisamos ter algumas conversas difíceis com a Arábia Saudita e outros países do Golfo que têm financiado e alimentado a ideologia extremista."

Ele atacou May por ter reduzido os números da polícia durante sua gestão como Ministra do Interior e repetiu seu compromisso de recrutar 10 mil novos policiais, incluindo oficiais armados.

As pesquisas de opinião mostraram que o partido Trabalhista de Corbyn está alcançando rapidamente o Partido Conservador, colocando em dúvida a aposta de May de que uma eleição rápida ampliaria sua maioria.

No mês passado o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu que os líderes árabes e islâmicos se unam e façam sua parte para derrotar os extremistas, fazendo um apelo forte para expulsar os terroristas, enquanto modera sua própria retórica sobre muçulmanos.

(Por Andy Bruce)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters