Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Manifestantes correm durante confronto com forças de segurança em protesto contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em Caracas. 30/05/2017 REUTERS/Carlos Barria

(reuters_tickers)

Por Eyanir Chinea

CARACAS (Reuters) - Membros da oposição da Venezuela denunciaram que membros das forças de segurança enviados para conter protestos contra o governo do presidente Nicolás Maduro roubaram e agrediram dezenas de manifestantes e jornalistas nas últimas semanas.

Vídeos de homens uniformizados empurrando civis e tomando seus celulares, bolsas e relógios durante as manifestações de segunda-feira viralizaram nas redes sociais.

Na terça-feira, deputados da Assembleia Nacional, dominada pela oposição, apresentaram à Procuradoria uma denúncia contra a Polícia e a Guarda Nacional, a unidade militar à frente da repressão às manifestações.

"(O ministro do Interior e da Justiça) Néstor Reverol... lhes dá licença para que roubem", disse o parlamentar Juan Miguel Matheus em frente ao Ministério Público, acrescentando que a denúncia menciona delitos de tratos cruéis e desumanos.

Em um dos vídeos se vê uma mulher atordoada pelos efeitos do gás lacrimogêneo sendo rodeada por ao menos quatro agentes da Polícia Nacional enquanto um deles toma um acessório de sua mão. Em outro, guardas tiram a bolsa e o capacete de um manifestante antes de voltar às suas motocicletas.

O governo alega que luta contra "células de terroristas" que almejam derrubar Maduro.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters