Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Protestos contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em Caracas. 13/04/2017 REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

(reuters_tickers)

Por Brian Ellsworth e Diego Oré

CARACAS (Reuters) - A oposição na Venezuela disse que vai realizar o maior protesto de todos nesta quarta-feira, acusando o presidente Nicolás Maduro de recorrer a medidas ditatoriais para acabar com a revolta popular causada pela profunda crise econômica que abala o país.

No clímax de uma série de protestos violentos que deixaram cinco mortos, manifestantes por todo o país vão exigir que o governo apresente um cronograma para as eleições, que suspenda a repressão contra as manifestações e que respeite a autonomia da Assembleia Nacional, liderada pela oposição.

"Esse é um governo em sua fase terminal", disse à Reuters o duas vezes candidato presidencial Henrique Capriles, na noite de terça-feira. "Isso vai se intensificar... e forçar Maduro, e seu regime, a realizar eleições democráticas e livres".

Maduro, que diz que os protestos recentes foram mais do que esforços da oposição para estimular a violência e derrubar seu governo, convocou simpatizantes do governista Partido Socialista a realizar uma manifestação concorrente em Caracas.

(Reportagem de Brian Ellsworth)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters