Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Líder de oposição da Venezuela Andrés Velásquez, durante coletiva de imprensa, em Caracas 09/08/2017 REUTERS/Marco Bello

(reuters_tickers)

Por Andreina Aponte e Eyanir Chinea

CARACAS (Reuters) - A oposição venezuelana anunciou na quarta-feira a inscrição de candidatos para as eleições de governadores, que acontecerão em dezembro, apesar de ter acusado a comissão eleitoral de fraude e das críticas de seus próprios membros por ter aceitado a realização da votação.

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE), que a oposição acusou de ser parcial a favor do governo do presidente Nicolás Maduro, deu somente dois dias --terça e quarta-feira-- para a postulação dos condados às eleições, nas quais também serão eleitos deputados e os conselhos legislativos de cada um dos 23 Estados do país sul-americano.

A coalizão dos partidos de oposição, a Mesa da Unidade Democrática (MUD), acusou o CNE de inflar o número de votos na eleição dos membros da polêmica Assembleia Nacional Constituinte, promovida por Maduro, e com poderes de reescrever a Constituição do país.

A oposição não participou com candidatos na eleição dos constituintes, que aconteceu no último dia 30 de julho.

Entretanto, o dirigente opositor Andrés Velásquez leu um comunicado da MUD em que anunciou que acordaram "por consenso, pré-inscrever candidatos para as eleições regionais, vencidas e roubadas pelo regime".

Reuters