Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

SEUL (Reuters) - Opositores da presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, exigiram a prisão da líder neste sábado, um dia depois de ela perder o cargo devido a um escândalo de corrupção envolvendo os conglomerados do país.

Na sexta-feira a Corte Constitucional confirmou o impeachment de Park e enfureceu centenas de seus apoiadores, dois dos quais foram mortos quando tentavam romper cordões de isolamento da polícia montados do lado de fora do tribunal. Um terceiro homem de 74 anos teve um infarto e morreu neste sábado, informou um hospital.

Também neste sábado os críticos de Park se reuniram no centro de Seul, onde vinham se congregando todas as semanas há meses, e os apoiadores conservadores da ex-presidente também foram às ruas a pouca distância, embora em menor quantidade.

A polícia compareceu em peso com escudos, mas não surgiram relatos de distúrbios.

"O impeachment não é o fim. Não nos dispersamos, ainda estamos seguindo adiante, unidos", disse um manifestante anti-Park que se identificou como T.H. Kim.

"Ela é uma cidadã agora. Se ela fez algo errado, tem que ser presa", completou.

(Por Jeongeun Lee)

Reuters