Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Manifestantes protestam perto de universidade, em Caracas 31/03/2017 REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

(reuters_tickers)

MONTEVIDÉU (Reuters) - A maioria dos países da aliança sul-americana Unasul condenou nesta sexta-feira a situação institucional da Venezuela e considerou que o Tribunal Supremo atentou contra os princípios da democracia ao assumir funções legislativas.

A crítica é assinada por Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai e Uruguai, mas não por Bolívia e Equador, também membros da Unasul, mas de maior afinidade ideológica com o governo venezuelano de Nicolás Maduro.

"Causa alarme o anúncio de que o Tribunal assumirá as competências do Poder Legislativo, bem como a decisão de limitar os poderes da Assembleia Nacional e restringir a imunidade parlamentar de seus membros", disseram os países em comunicado.

A maioria dos membros da Unasul considerou que os eventos recentes na Venezuela "atentam contra os princípios e valores essenciais da democracia representativa e da separação, independência e respeito aos poderes públicos, pilares do Estado de Direito".

(Reportagem de Malena Castaldi)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters