Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Homem passa por logo da Interpol, em Cingapura 30/09/2014 REUTERS/Edgar Su

(reuters_tickers)

JERUSALÉM (Reuters) - A Palestina se juntou à Interpol como um Estado-membro nesta quarta-feira, um movimento que teve a oposição de Israel, em votação na assembleia-geral da organização internacional de polícia em Pequim, informou a Interpol.

"O Estado da Palestina e as Ilhas Salomão são agora países-membros da Interpol", escreveu a organização, no Twitter.

O Ministério de Relações Exteriores israelense, que disse anteriormente que os esforços de Israel para adiar a votação para o ano que vem haviam fracassado, não comentou a decisão de imediato.

Israel havia defendido que a Palestina não é um Estado e que é inelegível para participação na Interpol. Sob acordos de paz provisórios entre Israel e Palestina, uma Autoridade Palestina recebeu autonomia limitada na ocupada Cisjordânia e na Faixa de Gaza.

"Essa vitória foi possível devido à posição de princípios da maioria dos membros da Interpol", disse o ministro de Relações Exteriores palestino, Riyad Al-Maliki, em comunicado.

(Reportagem de Jeffrey Heller)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters