Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

MILÃO (Reuters) - O Papa Francisco advertiu os líderes das 20 maiores economias mundiais reunidas em Hamburgo contra a formação de alianças perigosas e distorcidas que poderiam prejudicar os pobres e migrantes, reportou o jornal italiano La Repubblica no sábado.

"O G20 me preocupa, ele atinge os migrantes em países da metade do mundo e os atinge ainda mais com o passar do tempo", disse o Papa em uma conversa com o fundador do papel, Eugenio Scalfari, segundo o jornal.

Francisco, o primeiro papa não-europeu em 1.300 anos, disse ter medo de "alianças muito perigosas entre os poderes (estrangeiros) que têm uma visão distorcida do mundo: América e Rússia, China e Coreia do Norte, (Vladimir) Putin e (Bashar al-) Assad na guerra na Síria".

Ele disse que o maior perigo diz respeito à imigração, com "os pobres, os fracos, os excluídos e os marginalizados" justapostos com "aqueles que ... temem a invasão de migrantes".

Os países da União Européia estão em desacordo sobre como lidar com um grande fluxo de migrantes, muitas pessoas fugindo de guerra e da pobreza na Síria, Afeganistão e outros países.

Além de resolver as diferenças sobre o comércio e as mudanças climáticas, Angela Merkel, chanceler do país anfitrião do G20, na Alemanha, deverá liderar as discussões sobre essa questão.

(Por Giulia Segreti)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters