Reuters internacional

Papa Francisco fala durante audiência geral na praça de São Pedro, no Vaticano. 5/04/2017 REUTERS/Alessandro Bianchi

(reuters_tickers)

VATICANO (Reuters) - O papa Francisco disse nesta quarta-feira estar horrorizado com o suposto ataque de armas químicas na Síria, que chamou de "massacre inaceitável" de civis inocentes.

Países do Ocidente, incluindo os Estados Unidos, culparam o governo sírio pelo ataque, que matou dezenas de pessoas por sufocamento, na cidade de Khan Sheikhoun, em uma área controlada por rebeldes no norte da Síria atingida por ataques aéreos por parte do governo.

O Exército sírio negou qualquer participação no acontecido.

"Nós estamos horrorizados com os acontecimentos recentes na Síria", disse o papa às dezenas de milhares de pessoas na Praça de São Pedro em sua audiência geral semanal.

Expressando sua "firme desaprovação do inaceitável massacre que aconteceu ontem," o líder dos católicos do mundo disse estar rezando pelas "vítimas indefesas, incluindo muitas crianças".

O papa apelou para "a consciência daqueles que detêm poder político, tanto em nível local como internacional, para que essa tragédias acabem".

A Rússia disse nesta quarta-feira que a contaminação na área foi o resultado de um vazamento de gás de um depósito de armas químicas dos rebeldes que teria sido atingido por ataques aéreos por parte do governo sírio.

O papa Francisco também condenou a explosão do metrô em São Petersburgo, na Rússia, que matou 14 pessoas e deixou 50 feridos.

(Reportagem de Philip Pullella)

Reuters

 Reuters internacional