Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Papa Francisco no Santuário da Divina Misericórdia em Cracóvia, na Polônia 30/07/2016 REUTERS/David W Cerny

(reuters_tickers)

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Francisco disse a líderes europeus nesta sexta-feira que o continente enfrenta um "vácuo de valores" no momento em que a União Europeia comemora 60 anos, e condenou o populismo anti-imigração e o extremismo que ele disse representarem uma ameaça mortal ao bloco.

Primeiros-ministros e presidentes dos 27 Estados-membros da UE viajaram à Itália para marcar o aniversário do Tratado de Roma, de 1957, e receberam uma benção do papa na véspera da data.

Entretanto, as celebrações foram manchadas por uma série de crises, incluindo uma prolongada instabilidade econômica, um influxo recorde de imigrantes e a decisão do Reino Unido de deixar o bloco, colocando em dúvida o futuro da união.

"Quando um corpo perde sua sensação de direção e não é mais capaz de olhar para frente, ele experimenta uma regressão e, no longo prazo, corre o risco de morrer", disse Francisco aos líderes reunidos no Vaticano.

(Reportagem de Crispian Balmer)

Reuters