Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Papa Francisco chega a sua audiência geral na Praça São Pedro, no Vaticano 30/8/2017 REUTERS/Tony Gentile

(reuters_tickers)

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Francisco e o patriarca Bartolomeu 1º, líder cristão ortodoxo, pediram nesta sexta-feira uma resposta coletiva de líderes mundiais para as mudanças climáticas, dizendo que o planeta está se deteriorando e que as pessoas vulneráveis são as primeiras a serem afetadas.

O apelo chega três meses depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retirar seu país do Acordo de Paris, pacto global para limitar as emissões de gases de efeito estufa.

"Apelamos urgentemente àqueles em posições de responsabilidade social e econômica, além de política e cultural, que ouçam o grito da terra e atendam as necessidades dos marginalizados", disseram Francisco e Bartolomeu em um comunicado conjunto.

"Acima de tudo", os líderes religiosos pediram uma resposta "ao apelo de milhões e apoio (para) o consenso do mundo para a cura de nossa criação ferida".

A mensagem conjunta não foi dirigida a nenhum líder mundial específico. Muitos ficaram chocados quando os EUA se retiraram do Acordo de Paris, uma decisão que mais tarde uma autoridade de alto escalão do Vaticano classificou como "um desastre".

(Por Isla Binnie)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters