Por Philip Pullella

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Francisco pediu que seus auxiliares retomassem o plano de visitar o Sudão do Sul, viagem que teve de ser descartada em 2017 por causa da guerra civil no país mais jovem do mundo.

Durante uma reunião com o presidente do país, Salva Kiir, neste sábado, Francisco "expressou o desejo de verificar as condições para uma possível visita ao Sudão do Sul", disse o Vaticano, em um comunicado.

Acrescentou que gostaria de fazer da viagem um "sinal de proximidade para a população e de encorajamento para o processo de paz".

O produtor de óleo Sudão do Sul, que se tornou independente em 2011, entrou em guerra civil em dezembro de 2013, quando uma disputa entre Kiir e seu demitido vice Riek Machar iniciou as lutas, frequentemente com um aspecto étnico.

Em setembro, Kiir, que é católico, e Machar, presbiteriano, assinaram um acordo de paz pedindo que as duas principais facções rivais se juntassem, projetassem e treinassem suas respectivas forças, para unificá-las em um exército nacional, antes da formação de um governo de união, em maio.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.