Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Papa Francisco durante discurso em visita à Igreja Anglicana de Todos os Santos em Roma, na Itália 26/02/2017 REUTERS/Alessandro Bianchi

(reuters_tickers)

BERLIM (Reuters) - O papa Francisco disse que cogita permitir que homens mais velhos casados sejam transformados em padres em comunidades isoladas, mas descartou tornar o celibato opcional para enfrentar uma escassez de sacerdotes.

A escassez de padres levou a alguns pedidos de religiosos progressistas pelo fim da tradição do celibato na Igreja Católica. Tal medida representaria uma mudança revolucionária, e certamente enfrentaria enorme resistência.

Reformistas, no entanto, sugerem há muito tempo que o Vaticano permita a ordenação dos chamados "viri probati" --expressão em latim para homens de caráter testado-- que normalmente são mais velhos, com família formada quando casados.

Em entrevista ao jornal alemão Die Zeit, o papa disse que essa opção pode ser considerada.

"Temos que pensar se os 'viri probati' são uma possibilidade. Então depois precisamos determinar quais tarefas eles poderiam assumir, como em áreas isoladas, por exemplo", disse o papa na entrevista.

O papa descartou, no entanto, abrir o sacerdócio a todos os homens casados ou acabar com o compromisso da Igreja Católica com o celibato entre os padres.

"O celibato voluntário às vezes é discutido nesse contexto, especialmente em lugares onde há escassez de clérigos. Mas o celibato voluntário não é uma solução", disse.

A Igreja Católica considera o celibato uma virtude que permite aos padres devotarem suas vidas totalmente a servir a Deus.

(Reportagem de Erik Kirschbaum)

Reuters