Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Uma menina palestina carrega os seus pertences ao deixar uma escola da ONU que funciona como abrigo para desalojados, no campo de refugiados de Jebalya, no norte da Faixa de Gaza, na quarta-feira. 30/07/2014 REUTERS/Mohammed Salem

(reuters_tickers)

WASHINGTON (Reuters) - O bombardeio a uma instalação da Organização das Nações Unidas (ONU) na Faixa de Gaza nesta semana pelo Exército israelense é "totalmente inaceitável e totalmente indefensável", disse um porta-voz da Casa Branca nesta quinta-feira.

Israel fala frequentemente sobre a importância de proteger a vida de civis, mas os Estados Unidos acreditam que o governo e os militares israelenses não estão fazendo o suficiente para isso, afirmou o porta-voz Josh Earnest em uma entrevista coletiva.

"O bombardeio a uma instalação da ONU que está abrigando civis inocentes que estão fugindo da violência é totalmente inaceitável e totalmente indefensável", afirmou o porta-voz.

Autoridades de saúde de Gaza dizem que mais de 1.400 palestinos, a maioria deles civis, foram mortos no enclave. Israel afirma que 56 de seus soldados e três civis morreram por foguetes disparados pelo grupo militante Hamas.

"Acreditamos que o governo israelense e os militares israelenses precisam fazer mais para viver de acordo com os próprios padrões que eles estabeleceram para proteger civis inocentes", disse Earnest.

Ele pediu a Israel para acabar com a operação terrestre em Gaza, dizendo: "Esses relatos de que centenas de civis palestinos inocentes foram mortos são trágicos."

Earnest repetiu os apelos dos EUA por um cessar-fogo imediato e instou o Hamas a parar de disparar foguetes contra civis israelenses.

O Pentágono também apelou a Israel nesta quinta-feira para fazer mais para proteger civis durante suas operações militares na Faixa de Gaza.

(Reportagem de Eric Beech)

Reuters