Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Francesco Guarascio

BRUXELAS (Reuters) - Parlamentares da União Europeia (UE) aprovaram nesta terça-feira suspender a imunidade parlamentar da candidata a presidente da França Marine Le Pen por tuítar imagens da violência do Estado Islâmico.

Marine Le Pen, integrante do Parlamento Europeu, está sob investigação na França por divulgar três imagens explícitas de execuções do Estado Islâmico no Twitter em 2015, incluindo a decapitação do jornalista norte-americano James Foley.

Respondendo a um pedido do Judiciário francês, os parlamentares europeus votaram no comitê de assuntos legais por suspender a imunidade dela, disseram autoridades da UE. A decisão do comitê terá que ser apoiada por todo o Parlamento numa segunda votação, possivelmente nesta semana.

A imunidade de Marine Le Pen a protege de um processo judicial. A ofensa sendo considerada é publicação de imagens violentas, que pode, em certas circunstâncias, resultar em pena de três anos de prisão e multa de 75 mil euros.

Os parlamentares “aprovaram esmagadoramente suspender a imunidade de Le Pen”, disse a parlamentar eurocética Laura Ferrara. Uma autoridade parlamentar disse que 18 votaram a favor da suspensão, e três votaram contra.

Marine Le Pen não foi encontrada para comentar.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters