Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

ULAANBAATAR (Reuters) - O parlamento da Mongólia votou a favor do afastamento do primeiro-ministro do país, Jargaltulga Erdenebat, informou nesta quinta-feira o site da casa, depois que o governista Partido Popular da Mongólia foi derrotado em uma eleição presidencial em julho.

Desde 2004, nenhum premiê mongol terminou seu mandato de quatro anos.

"A resolução do parlamento sobre a renúncia do governo foi aprovada", informou o site oficial da legislatura.

Dos 73 parlamentares que compareceram à votarão, 42 foram a favor da destituição de Erdenebat do cargo.

Em um comunicado publicado no site, o primeiro-ministro de saída observou que o país teve 13 governos nos últimos 25 anos.

"A renúncia de um governo em um parlamento democrático é uma ocorrência normal, mas pode ser prejudicial se uma coisa boa vai além de suas normas", opinou Erdenebat.

"Acredito que dispensar o governo é um erro que impede o desenvolvimento do país, ao invés de um mecanismo positivo de responsabilização", acrescentou.

No mês passado, cerca de 30 membros do Parlamento, ou Ikh Khural, assinaram uma petição pedindo a renúncia de Erdenebat na esteira da eleição presidencial, que foi vencida pelo populista ex-astro de artes marciais e empresário Khaltmaa Battulga, do opositor Partido Democrático.

(Por Terrence Edwards)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters