Reuters internacional

Primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, durante votação de voto de não-confiança no Parlamento em Madri. 13/06/2017 REUTERS/Juan Medina

(reuters_tickers)

MADRI (Reuters) - Parlamentares da Espanha rejeitaram nesta quarta-feira um voto de não-confiança no primeiro-ministro Mariano Rajoy proposto pelo partido antiausteridade Podemos.

Não esperava-se que a moção conseguisse a maioria dos votos necessários para derrubar Rajoy, considerando que os socialistas haviam dito que iriam se abster e que o liberal Ciudadanos e outros partidos regionais menores haviam dito que votariam contra a proposta.

Entretanto, a ação do Podemos tinha como principal foco retratar o partido como líder da oposição do governo de centro-direita no momento em que os socialistas acabaram de escolher um novo líder e estão lutando contra a perda de apoio, dizem analistas.

"Nós estamos no caminho certo para construir uma maioria alternativa", disse o líder do Podemos, Pablo Iglesias, após a votação. "Hoje, nós estamos um passo mais perto de remover o Partido Popular das instituições".

A moção foi rejeitada com 170 votos contra, 82 a favor e 97 abstenções, mais ou menos em linha ao o resultado de quando Rajoy foi eleito primeiro-ministro no ano passado, mostrando que não houve mudança na balança de poder no Parlamento.

Rajoy, que garantiu apoio para o orçamento e obteve como consequência ao menos dois anos de estabilidade, disse estar satisfeito com o resultado da votação.

"Foi rejeitado por uma ampla maioria e isso quer dizer que nós vamos ser capazes de continuar trabalhando", disse ele a jornalistas.

(Reportagem de Paul Day)

Reuters

 Reuters internacional