Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Premiê britânica, Theresa May, em Londres 29/10/2018 REUTERS/Henry Nicholls

(reuters_tickers)

Por Guy Faulconbridge e Sarah Young

LONDRES (Reuters) - O partido da Irlanda do Norte que apoia o governo da primeira-ministra britânica, Theresa May, qualificou nesta sexta-feira a negociação do governo sobre Brexit como uma traição, e avisou que não pode apoiar um acordo que divida o Reino Unido.

O alerta ressalta os percalços que May enfrenta para conseguir que um acordo para a separação britânica do bloco, que Londres e Bruxelas dizem estar 95 por cento completo, seja aprovado tanto por seu partido dividido quanto pelos parlamentares da Irlanda do Norte que a mantêm no poder.

Faltando menos de cinco meses para a desfiliação do dia 29 de março, os negociadores ainda discutem um plano B para a fronteira terrestre entre a Irlanda do Norte, administrada pelo Reino Unido, e a Irlanda, que parte da UE, caso não haja acordo.

O Partido Unionista Democrático (DUP) interpretou uma promessa de May, feita em uma carta, de que nunca deixaria uma divisão no Reino Unido "entrar em vigor" como uma admissão de que tal cláusula seria incluída em um acordo definitivo, noticiou o jornal Times.

"A carta da primeira-ministra dispara alarmes para aqueles que valorizam a integridade de nossa união preciosa e para aqueles que querem um Brexit adequado para todo o Reino Unido", disse a líder do DUP, Arlene Foster.

"Com base em sua carta, parece que a primeira-ministra está afeita à ideia de uma fronteira com a Irlanda do Norte no Mar da Irlanda no regime regulatório do mercado comum da UE", disse ela.

O DUP já atacou as negociações do Brexit antes. Quase um ano atrás, sua recusa em assinar um acordo sobre a divisa travou as conversas temporariamente em um estágio crucial. Mais tarde os negociadores encontraram uma maneira de manter todos os lados a bordo.

O acordo do Brexit --ou a falta de um-- moldará a prosperidade britânica durante gerações e terá consequências de longo prazo para a influência global da UE.

Os dois lados precisam de um pacto para manter o fluxo comercial entre o maior bloco comercial do mundo e a quinta maior economia do planeta. Combinados, os outros 27 membros do bloco têm cerca de cinco vezes o poder econômico do Reino Unido.

(Reportagem adicional de Kate Holton, Kylie MacLellan e Paul Sandle em Londres e Conor Humphries em Dublin)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters