Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Chanceler alemã, Angela Merkel, e líderes de partidos em negociação para formar governo de coalizão 30/10/2017 REUTERS/Axel Schmidt

(reuters_tickers)

BERLIM (Reuters) - Os conservadores, os verdes e os democratas livres da Alemanha ingressaram em novas negociações de coalizão nesta segunda-feira, após uma reunião com a chanceler alemã, Angela Merkel, que participantes disseram ter aliviado as tensões entre possíveis parceiros para um novo governo.

Merkel, cuja aliança conservadora ficou em primeiro lugar mas perdeu assentos na eleição nacional do dia 24 de setembro, está tentando compor uma difícil coalizão de três partes, jamais fechada a nível nacional, com o pró-mercados Partido Democrático Liberal (FDP) e com os ambientalistas Verdes.

Horst Seehofer, chefe do partido conservador da Baviera aliado de Merkel, disse que a reunião de domingo entre líderes dos partidos ajudou a "mudar a atmosfera", depois que as conversas da semana passada encontraram dificuldades em relação a políticas de imigração e medidas de combate à mudança climática.

"Nós temos --e nós queremos-- construir um governo estável. Para fazer isso, nós temos que formular um plano futuro substancial", disse, pedindo que negociadores continuem a conversar em particular, mas que reduzam os comentários públicos vistos por alguns como divisores.

Katrin Goering-Eckardt, uma importante negociadora dos Verdes que também participou da reunião, disse que o encontro de domingo tranquilizou o clima por enquanto. "Agora teremos que ver se terá qualquer efeito nas conversas nessa semana", afirmou.

As conversas exploratórias desta segunda-feira --as primeiras de quatro sessões planejadas para esta semana-- focará em assuntos menos disputados como educação, digitalização, pensões e questões trabalhistas, assim como segurança interna.

(Reportagem de Andrea Shalal)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters