Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Líder destituído da Catalunha, Carles Puigdemont, durante coletiva de imprensa em Bruxelas, Bélgica 31/10/2017 REUTERS/Yves Herman

(reuters_tickers)

Por Julien Toyer

MADRI (Reuters) - Os partidos separatistas da Catalunha não conseguiram fechar acordo para uma candidatura conjunta na eleição regional de dezembro, complicando seus esforços de governar a região após terem iniciado o processo para se separar do restante da Espanha, provocando um turbilhão.

A tentativa de independência da Catalunha arrastou a Espanha para sua pior crise política em quatro décadas, desencadeando um êxodo comercial e forçando Madri a cortar suas previsões econômicas, além de reabrir antigas feridas da guerra civil espanhola dos anos 1930.

Grupos pró-independência convocaram uma greve geral na região para esta quarta-feira.

Partidos políticos catalães tinham até meia-noite de terça-feira para registrar coalizões antes da eleição do dia 21 de dezembro, mas as duas principais forças que formaram uma aliança para governar a região nos últimos dois anos não conseguiram acordar um novo pacto desta vez.

Embora eles ainda possam chegar a um acordo após a eleição, analistas políticos dizem que a falta de pacto sobre uma campanha conjunta também pode desencadear uma briga pela liderança no topo do movimento.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters