Navigation

Pelo menos 14 soldados da Tunísia são mortos em emboscada de militantes islâmicos

Este conteúdo foi publicado em 17. julho 2014 - 12:24

Por Tarek Amara

TÚNIS (Reuters) - Pelo menos 14 soldados tunisianos foram mortos quando homens armados atacaram postos de controle do Exército nas remotas montanhas de Chaambi, na ofensiva mais letal de militantes islâmicos contra as forças armadas do país africano.

Desde abril milhares de soldados tunisianos foram deslocados para a cordilheira de Chaambi, na fronteira com a Argélia, em uma operação para expulsar militantes ligados à Al Qaeda que se refugiaram ali, incluindo alguns que fugiram da intervenção francesa no Mali no ano passado.

Durante o ataque na noite de quarta-feira, militantes com granadas lançadas por foguetes e fuzis avançaram contra postos que os militares haviam estabelecido para tentar controlar a região de Chaambi. Mais de 20 soldados ficaram feridos.

A Tunísia vem enfrentando o aumento do número de grupos islamitas radicais desde que a revolta popular de 2011 pôs fim ao regime do autocrata Zine el-Abidine Ben Ali e deu início a medidas ainda frágeis na direção da democracia.

(Reportagem de Tarek Amara)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.