Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

LIMA (Reuters) - O Peru convocou de volta seu embaixador no Equador em protesto contra a construção de um muro na fronteira entre os dois países, informou nesta segunda-feira o Ministério de Relações Exteriores peruano.

O governo peruano disse que a construção do muro viola um tratado internacional, por estar localizado perto demais do canal Zarumilla, que separe os dois países, e também alega que prejudicaria a integração através da fronteira e pode prejudicar o fluxo de água no canal, elevando o risco de enchentes em cidades peruanas.

O Equador, por sua vez, alega que o muro é necessário para combater o contrabando. Representantes do governo equatoriano não estavam disponíveis de imediato para comentar.

No mês passado o Peru pediu ao Equador que interrompesse a construção do muro e a realização de uma reunião bilateral.

Disputas territoriais levaram a uma guerra de três anos entre os dois vizinhos nos anos 1990. O comércio através da fronteira permanece fluindo, mas a passagem de contrabando é comum, de acordo coma polícia peruana.

(Reportagem de Mitra Taj)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters