Navigation

Pfizer reduz até pela metade entrega de vacinas a alguns países da UE

Profissional de saúde recebe dose da vacina da Pfizer-BioNTech contra Covid-19 em Bucareste 27/12/2020 Inquam Photos/Octav Ganea via REUTERS reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 21. janeiro 2021 - 21:08

Por Radu-Sorin Marinas e Jan Lopatka e Tsvetelia Tsolova

BUCARESTE/PRAGA (Reuters) - A Pfizer reduziu pela metade o volume de vacinas contra Covid-19 que entregará a alguns países da União Europeia nesta semana, disseram autoridades governamentais nesta quinta-feira, enquanto aumenta a frustração com o corte inesperado nos suprimentos da farmacêutica dos Estados Unidos.

A Romênia só recebeu 50% de seu volume planejado para esta semana, a outra metade será distribuída gradualmente até o final de março e as remessas só voltarão ao normal a partir da semana que vem, disse o vice-ministro da Saúde, Andrei Baciu, à Reuters.

A situação é parecida na Polônia, que na segunda-feira recebeu 176 mil doses, uma queda de cerca de 50% em relação ao que se esperava, disseram autoridades.

O governo tcheco está se preparando para uma interrupção de semanas, o que desacelera sua campanha de vacinação justamente quando a segunda dose de inoculações começa.

A Pfizer e sua parceira alemã BioNTech não quiseram comentar os cortes, só anunciando em um comunicado da semana passada que diminuirão as remessas enquanto intensificam a fabricação na Europa.

Alguns países reconhecem que conseguem lidar com isso. A Noruega tem um estoque de emergência e continuará administrando doses como planejado, disse a entidade de saúde pública do governo.

A farmacêutica norte-americana disse à Bulgária e à Polônia que substituirá as doses em falta, segundo autoridades graduadas.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?