Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Abdi Guled
MOGADÍSCIO (Reuters) - Piratas somalis libertaram um navio espanhol de pesca de atum sequestrado há seis semanas, anunciou o primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, na terça-feira. Um pirata disse que foi pago um resgate pela embarcação e seus tripulantes.
"Os marinheiros do Alakrana estão em liberdade e vão voltar para casa", disse Zapatero em coletiva de imprensa em Madri, pouco depois de ser divulgado que os piratas tinham capturado outra embarcação, um navio-tanque que transporta substâncias químicas, com bandeira das Ilhas Virgens e que se dirigia a Mombasa.
Um dos piratas disse à Reuters anteriormente que a Espanha concordara em pagar resgate de 3,5 milhões de dólares pelo Alakrana, capturado em 2 de outubro e que é uma de pelo menos 13 embarcações que estão sendo mantidas reféns ao largo da Somália, juntamente com mais de 230 tripulantes.
"O acordo entre nós e a Espanha parece satisfatório, e esperamos concluí-lo em segurança", disse o pirata, que se identificou como Nor, falando à Reuters pelo telefone desde o reduto pirata de Haradheere.
Indagado sobre o pagamento ou não de resgate, Zapatero não respondeu diretamente mas falou que "o governo fez o que tinha que fazer".
Os piratas haviam dito anteriormente que a embarcação pesqueira não seria libertada a não ser que fossem soltos dois suspeitos somalis capturados pela Marinha espanhola perto do navio de pesca de atum.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters