Reuters internacional

NAIROBI (Reuters) - Piratas somalis são suspeitos pelo sequestro de um navio cargueiro, afirmou o diretor de uma companhia de segurança marítima neste sábado, no mais recente episódio de ataque após anos de calmaria.

Graeme Gibbon-Brooks, diretor da empresa privada Dryad Maritime Intelligence, afirmou que fontes da indústria confirmaram o sequestro da embarcação.

A United Kingdom Maritime Trade Operations (UKMTO), que coordenada o fluxo de navios na região do Golfo de Áden, afirmou em seu site que recebeu notificação neste sábado de que um navio na região estava sob ataque e poderia já ter sido abordado.

"Embarcações transitando na área devem proceder com extrema cautela", disse a UKMTO, sem dar mais detalhes.

O sequestro ocorre dias depois que piratas invadiram um navio indiano que estava em rota de Dubai para Bossaso, na Somália.

Piratas somalis sequestraram um petroleiro em março, no primeiro episódio do tipo desde 2012. Os piratas acabaram liberando o navio depois de confrontos com forças marítimas em Puntland.

Donos de navios se tornaram menos zelosos a respeito de pirataria depois de um longo período de calmaria no Chifre da África, afirmam especialistas. Alguns deles começaram a usar uma rota conhecida como Socotra Gap, entre a Somália e a ilha de Socotorá para economizar tempo e custos. A rota é considerada mais arriscada que outras.

Reuters

 Reuters internacional