Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Balões e flores homenageiam vítimas de ataque na Manchester Arena em praça de Manchester 24/05/.2017 REUTERS/Peter Nicholls

(reuters_tickers)

Por Michael Holden e Andy Bruce

MANCHESTER, Inglaterra (Reuters) - Após Salman Abedi detonar uma bomba cheia de parafusos de metal em meio a fãs que saiam de um show em Manchester, a polícia britânica está buscando por cúmplices que podem ter ajudado a construir a bomba e estar prontos para atacar novamente.

Enquanto a polícia tentava entender o passado do britânico Abedi, a primeira-ministra Theresa May encontrou com autoridades de segurança que disseram estar elevando o nível de ameaça do Reino Unido para "crítico", indicando que um ataque é iminente.

Parte dessa avaliação é o medo de que Abedi pode ter trabalhado como parte de um grupo com possíveis ligações com grupos militantes que têm capacidade de organizar e executar ataques suicidas.

"A questão é: ele estava agindo sozinho, ou ele era parte de uma rede de outros que querem matar? É nisso que a investigação está focando", disse à Reuters uma fonte familiar com o inquérito, sob condição de anonimato.

"A preocupação é que podem existir outros que o ajudaram a fazer a bomba. Fazer uma bomba desse tipo exige um certo nível de perícia e competência", disse a fonte.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters