Reuters internacional

Policiais armados em frente ao Palácio de Westminster, no centro de Londres. 16/06/2017 REUTERS/Peter Nicholls

(reuters_tickers)

Por William James e Costas Pitas

LONDRES (Reuters) - Policiais britânicos armados dispararam uma arma de choque contra um homem que puxou uma faca enquanto corria na direção de guardas que protegiam um dos portões do Parlamento de Westminster, em Londres, nesta sexta-feira, disseram testemunhas.

A polícia disse que um homem agia de maneira suspeita perto de um dos portões do Parlamento onde um militante matou um policial menos de três meses atrás.

Após disparar a arma de choque conhecida como Taser, os policiais detiveram o homem. Policiais armados apontaram para o homem enquanto ele era contido e colocado em uma van da polícia, disseram à Reuters testemunhas no local.

"O homem puxou uma faca", disse a polícia. "Ninguém ficou ferido".

A polícia britânica disse que agentes antiterrorismo vão investigar o incidente, embora não tenham declarado o ocorrido como uma ação terorista.

"Dada a localização, as circustâncias e aos recentes eventos trágicos, o comando contra o terrorismo vai investigar esse incidente".

Uma testemunha no local contou à Reuters que o homem, que a polícia disse ter cerca de 30 anos, havia corrido em direção a um dos portões.

"Dava para ver que ele era suspeito, ele estava lá de punhos cerrados. Parecia um tipo bem raivoso", disse Bradley Allen, de 19 anos, à Reuters.

"Segundos depois eles estavam com ele no chão, preso. Policiais ao redor dele, dizendo a todos para recuarem".

O incidente ocorreu menos de três meses depois de um homem lançar um carro contra pedestres na Ponte de Westminster e em seguida matar um policial a facadas nos arredores do Parlamento, o primeiro de três ataques fatais no Reino Unido, que colocou seus serviços de segurança em estado de alerta.

"Havia cerca de três ou quatro policiais, um deles gritando para o público se afastar", relatou outra testemunha, que pediu para não ser identificada, à Reuters.

"O cara estava no chão, de frente para o piso, ao lado da Praça do Parlamento. Eles o prenderam no chão e estavam alertando que iriam lhe dar um choque de novo".

O Parlamento disse estar a par do incidente.

"Não há motivo para alarme, mas por favor, continuem se mantendo vigilantes", disse a Câmara dos Comuns, a câmara baixa do Parlamento britânico.

Os portões do Parlamento foram fechados, e policiais armados estavam patrulhando como de costume dentro do perímetro, disse um repórter da Reuters dentro do edifício.

Reuters

 Reuters internacional