Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Jane Wardell e Charlotte Greenfield

SYDNEY (Reuters) - A polícia da Austrália está realizando buscas “antiterrorismo” em Melbourne na manhã da sexta-feira local, apenas alguns dias depois de um homem armado conduzir um sequestro na segunda maior cidade do país.

O governador do Estado de Vitória, Daniel Andrews, confirmou que as buscas estão relacionadas ao sequestro do início da semana que foi reivindicado pelo grupo Estado Islâmico.

“Eu fui informado muito cedo nesta manhã, um número de mandados estão sendo executados em Melbourne enquanto falamos”, disse Andrews à Sky News. “Nós obviamente temos limites no que podemos dizer, nós não queremos colocar ninguém do nosso pessoal operacional em risco por falar sobre essas questões, mas eles têm conexão com os terríveis eventos trágicos de segunda-feira em Brighton."

A polícia matou o agressor Yacqub Khayre, que eles disseram ter um longo histórico criminal, na noite de segunda-feira depois que ele matou um homem em um apartamento no subúrbio de Brighton, e manteve uma mulher refém por várias horas.

A polícia de Vitória confirmou estar “conduzindo uma operação policial nos subúrbios do norte” de Melbourne, mas se recusou a fazer mais comentários.

O governo da Austrália sinalizou a intenção de revisar as leis de liberdade condicional do país, como resultado do incidente, incluindo uma proibição de liberdade condicional para infratores violentos que tiverem qualquer ligação com extremismos, já que Khayre estava em condicional após invadir uma casa.

Andrews disse que a reforma estará no topo da agenda de uma reunião entre os governos estaduais e federais que acontecerá na sexta-feira, e que pode determinar que as decisões sejam feitas por procuradores gerais do Estado, ao invés de por painéis de liberdade condicional em casos que envolvam extremismo.  

“A reunião de hoje nos dá a oportunidade não só de falar sobre essas questões, mas de reconhecer que o terrorismo não está a meio mundo de distância”, disse Andrews.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters